Vereadora Anice solicita dados, ao Governo do Estado, sobre violência contra a mulher


Na oportunidade da discussão do requerimento, a parlamentar aproveitou para chamar a todas para um ato virtual da bancada feminina, em conjunto com Executivo, que será realizado no dia 08/03



Diante de dados alarmantes e aumento de casos, acompanhado nas notícias veiculadas pela imprensa, tanto em âmbito local, quanto nacional, a violência contra a mulher voltou a ser pauta na Câmara de Foz. Na sessão da última quinta-feira, 04 de março, o assunto foi levantado devido a um requerimento (61/2021), de autoria da Vereadora Anice Gazzaoui (PL), que solicita ao Governo do Estado do Paraná informações referentes ao número de casos de violência contra a mulher atendidos pela Delegacia Especializada da Mulher em Foz do Iguaçu durante o período da pandemia.


No texto da proposição, a Vereadora alega que no período de isolamento social foram veiculadas várias notícias a respeito do aumento dos casos de violência contra a mulher, incluindo feminicídios. E, segundo o requerimento, muitos dos casos não são notificados. A ideia do requerimento é obter o relatório e fazer uma análise dos dados para tomada de providências.


“Os dados que nos chegam são alarmantes. Não podemos ser omissos hoje. A luta no combate à violência contra a mulher é histórica. O machismo é estrutural, incorporado na sociedade. Temos de ser a voz e estamos, através da bancada feminina, sendo as vozes no parlamento, tendo apoio dos demais vereadores. Mas, ainda estamos muito longe de sermos uma sociedade justa, que respeite o papel da mulher. Não era isso que queríamos estar falando aqui hoje. Gostaríamos de falar de avanços, gostaríamos de falar: parabéns, mulheres, conseguimos nosso respeito, autonomia. Não podemos neste mês da mulher falar em comemoração. Não somos coniventes com a omissão da sociedade a nosso respeito. Queremos hoje os dados para continuarmos falando, vamos tocar o dedo na ferida. Queremos muito mais do que voz, queremos os direitos igualitários sendo concretizados”, defendeu a parlamentar.



A Vereadora Yasmin Hachem (MDB), que integra a bancada feminina, também se posicionou durante a discussão do requerimento. “É muito importante o movimento contínuo de conversarmos sobre isso, também com nossos colegas. É quando conversamos sobre isso que conseguimos entender e refletir sobre nossos atos. Há menos de 100 anos as mulheres não votavam e não elegiam representante feminina. Mas, isso não é um problema simples de se resolver, não basta pensar que é só as mulheres votarem em mulheres. É um problema social, cultural e estrutural”.


No momento da votação, alguns Vereadores também se posicionaram, Adnan El Sayed (PSD) afirmou. “A própria Vereadora Anice, principalmente em sua primeira eleição, foi vista com um grito das mulheres em nossa comunidade, de inserção no meio político e gostaria de deixar pública a consideração por todo esforço nesse sentido”.



O Vereador Cabo Cassol (Podemos) também acrescentou. “Eu sou oriundo de uma família de um pai violento e de uma mãe submissa e convivi durante a infância toda com violência doméstica. E, depois passei a trabalhar na polícia e acompanho no trabalho os casos. Os números que devem vir como resposta ao requerimento devem estar bem distante da realidade ainda, as estatísticas que devem nos mostrar estão muito aquém do que acontece”.


Ato virtual da bancada feminina em alusão ao Dia Internacional da Mulher vai levantar a bandeira contra assédio sexual


Durante a discussão, a Vereadora Anice (PL) chamou para um ato virtual que as parlamentares da bancada farão em alusão ao Dia Internacional da Mulher. "Segunda-feira haverá um ato de forma virtual, com as Vereadoras e Secretárias do Executivo, em conjunto, oportunidade em que será feito o lançamento do vídeo em que as onze mulheres vão falar", afirmou Anice.


A Vereadora informou, ainda, que "a bancada feminina se reuniu com a secretária de saúde, Rosa Jeronymo, semana passada e durante a reunião ela nos colocou a preocupação e sugeriu que a bancada fortalecesse o debate contra o assédio sexual nos órgãos públicos. Então, reunião surgiu a ideia de fazermos um ato virtual no dia 08 de março. Temos de debater o problema do assédio sexual. Nossos corpos não são públicos”, pontuou a Vereadora Anice Gazzaoui (PL). O ato virtual deverá ser segunda-feira, 19h.


https://bit.ly/3c27XQl

0 visualização0 comentário

Foz do Iguaçu - Paraná

©2021 por Portal Fronteiras. Orgulhosamente criado e desenvolvido por Agência Ludkus.