Prefeitura de Foz adota práticas de responsabilidade socioambiental em repartições públicas


Os resultados das ações que promovem a sustentabilidade foram apresentados nesta terça-feira (1º) por representantes dos órgãos públicos municipais


A Prefeitura de Foz do Iguaçu fortalece os princípios de responsabilidade socioambiental em todas as repartições públicas. Por meio do Programa de Educação Ambiental na Administração Pública da Secretaria Municipal de Meio Ambiente são realizadas oficinas, visitas técnicas, diálogos entre os servidores e cursos de formação em educação ambiental, bem como a adoção de boas práticas de sustentabilidade.


Para contribuir com esse cenário, outros órgãos públicos municipais também adotaram boas práticas de sustentabilidade. Parte delas foi apresentada nesta terça-feira, 1º, durante seminário para o público interno em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente.


O prefeito Chico Brasileiro fez a abertura encontro virtual. Ele contou que foi necessário adotar medidas concretas, com impacto ambiental imediato, mas também realizar o planejamento de ações em longo prazo.


“O compromisso com o meio ambiente é coletivo, uma obrigação de servidores e demais trabalhadores dos órgãos municipais. Este é um assunto que não podemos postergar e deixar para o dia de amanhã, pois a sustentabilidade é importante hoje e será ainda mais para o futuro”, afirmou.


Boas Práticas


Entre as principais transformações destacadas no evento está o Sistema de Informações Digitais (SID). Implantado em fevereiro pela Secretaria de Administração, o sistema modernizou a gestão de documentos, tornando-os digitais.


Em menos de quatro meses, mais de 36 mil documentos deixaram de ser impressos – o que gerou uma economia de aproximadamente R$ 9 mil mensais. De acordo com o secretário de Administração, Nilton Bobato, a previsão é em junho todos os processos internos da Prefeitura tornem-se totalmente digitais.


“Os benefícios do SID são inúmeros, pois temos o compromisso com o meio ambiente aliado à tecnologia e a celeridade dos processos, que podem ser despachados com mais rapidez”, disse.


Outro "case" apresentado no seminário foi o do prédio da Secretaria de Saúde, onde foi iniciada uma transformação interna para o monitoramento de práticas sustentáveis, como orientações sobre o uso dos recursos, como água e energia; a separação correta dos resíduo; e a adesão de canecas e garrafas para eliminar o uso de descartáveis.


Educação ambiental


A Secretaria de Meio Ambiente, por meio da Equipe de Educação Ambiental, também mostrou um recorte histórico, entre 2017 e 2021, do Programa de Educação Ambiental na Administração Pública, que tem como público-alvo os servidores de todos os prédios de secretarias, autarquias, fundação e também a Câmara de Vereadores.


“Nosso trabalho só foi possível por conta da participação de todos. As pastas assumiram o compromisso e não falharam em cumprir com o acordado, ao promover ações de sensibilização socioambiental no ambiente de trabalho. Temos muito a agradecer e também há muito para se fazer”, contou Roseli Barquez, chefe da Divisão de Educação Ambiental.


Conscientização para os iguaçuenses


As práticas não ficaram apenas dentro dos prédios da Prefeitura. Após a formação em educação ambiental, professores da Rede Municipal decidiram promover mudanças também na comunidade ao redor da escola.


A Escola Municipal João da Costa Viana, em Três Lagoas, foi um dos exemplos. Os educadores pintaram as tampas de bueiro próximas à escola para alertar os moradores sobre os riscos do descarte incorreto dos resíduos. Com os alunos, foram realizadas aulas voltadas para a prática ambiental, como um efeito multiplicador dos conhecimentos.


A Estação de Captação de Resíduos do Parque Monjolo, da pela Secretaria Municipal de Obras, foi outro exemplo de boa prática apresentado no seminário.


Link: https://www5.pmfi.pr.gov.br/noticia-48030

0 visualização0 comentário