Escolas iniciam projeto de avaliação nutricional das crianças


A coleta de dados vai contribuir para o planejamento de atividades de Educação Alimentar e Nutricional que visem à promoção de hábitos saudáveis


Teve início nesta segunda-feira (21) o projeto de avaliação nutricional dos estudantes do 1º ao 5º ano das escolas municipais. O objetivo é fazer um levantamento do perfil nutricional dos alunos e verificar a incidência de necessidades alimentares especiais de acordo com laudo médico (diabetes mellitus, intolerância à lactose, doença celíaca, fenilcetonúria e vegetarianos/veganos), além de planejar estratégias que contribuam para a conscientização de hábitos saudáveis, dentro e fora da escola.


O projeto é desenvolvido pela Divisão de Alimentação Escolar da Secretaria Municipal da Educação e está baseado nas resoluções do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Além disso, ele conta com a parceria dos Diretores e secretários de escola, dos professores de Educação Física e dos demais profissionais da Secretaria da Educação.


A coleta dos dados (aferição de peso e altura do aluno) está sendo feita pelos professores de educação física – já capacitados pelas equipes da Secretaria de Educação. “Cada escola receberá uma balança para auxiliar no levantamento. Elas terão até uma semana para coletar os dados de todos os estudantes”, explica a nutricionista Natalia Matias.


Na Escola Josinete Holler, na Vila A, as crianças estavam animadas com a nova programação do dia. “Elas receberam bem o projeto e os pais estão aderindo, autorizando a coleta de dados e entendendo a importância desse levantamento, que vai contribuir com a segurança alimentar dos estudantes”, disse a nutricionista.


O monitoramento anual dos alunos da rede pública do município de Foz do Iguaçu subsidiará as ações na área de Segurança Alimentar e Nutricional, buscando reduzir a prevalência das Doenças Crônicas não Transmissíveis, tais como: obesidade, hipertensão arterial, diabetes mellitus, doenças cardiovasculares, entre outras.


Nesta segunda, outras escolas iniciaram o projeto: Profº Pedro V. Parigot de Souza, Profª Elenice Milhorança, Santa Rita de Cássia e Ponte da Amizade. A expectativa é avaliar 17 mil crianças até meados de julho.

2 visualizações0 comentário