Duplicação do Contorno Oeste de Cascavel ultrapassa um terço de execução


Obra inclui 14,28 quilômetros de novas pistas de concreto, uma ponte, um viaduto e uma nova via de acesso à Avenida Brasil, com três rótulas. Investimento é de R$ 67,9 milhões.


A obra de duplicação do Contorno Oeste de Cascavel (BR-163) atingiu 35,11% de execução. A nova pista terá extensão de 14,28 quilômetros em pavimento rígido de concreto, uma nova ponte, um novo viaduto e uma via de acesso à Avenida Brasil, com extensão de 4,79 quilômetros.


A duplicação é resultado da parceria entre o Governo do Paraná, o governo federal e a Itaipu Binacional, com um investimento de R$ 67.998.524,65 da hidrelétrica.


“A Itaipu Binacional é uma de nossas grandes parceiras, juntamente com o governo federal, possibilitando a implementação de obras de grande porte, como a Ponte da Integração Brasil – Paraguai, a pavimentação de um novo segmento da Estrada Boiadeira, e as duplicações em Cascavel, da BR-277 entre o posto da Polícia Rodoviária Federal e a Ferroeste, e do Contorno Oeste do município”, afirma o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Fernando Furiatti.



A obra tem início a cerca de 500 metros do viaduto no entroncamento com a BR-277 e segue até o viaduto de entroncamento com a BR-467. Neste ponto será realizado o encaixe das novas pistas com a passagem inferior e o ramo de acesso, sem alterações na estrutura do viaduto.


A nova via está em construção no lado esquerdo da pista existente, sendo separadas por um canteiro central de 10 metros. A duplicação será em pavimento rígido de concreto, com duas pistas de 3,6 metros cada, acostamento externo de 2,5 metros e acostamento interno de 1 metro.


Atualmente está em andamento a terraplenagem da plataforma da pista, com segmentos já recebendo a camada de base em concreto compactado a rolo, sobre o qual serão executadas as placas de concreto da pavimentação, com 22 centímetros de espessura.


O diretor-geral do DER/PR, Alexandre Castro Fernandes, explica que o Departamento está executando três grandes obras que utilizam o pavimento rígido de concreto: a duplicação do Contorno Oeste de Cascavel, a duplicação da Rodovia dos Minérios em Almirante Tamandaré, e a restauração da PRC-280 em Palmas, esta pela técnica whitetopping.


“É uma solução que devemos implementar cada vez mais no futuro, atualmente com excelente custo-benefício, mais resistente e com vida útil muito maior que a do pavimento flexível, ideal para rodovias com elevado tráfego de longa distância”, destacou Fernandes.


Estão em andamento, ainda, as implantações de novos dispositivos de drenagem e obras de arte correntes para lidar com água da chuva e água subterrânea, como bueiros, caixas coletoras, descidas d’água e drenos longitudinais. O contorno terá dois novos retornos em nível, no canteiro central.


OBRAS DE ARTE ESPECIAIS – A duplicação do contorno conta com duas obras de arte especiais (OAE): uma nova ponte sobre o Rio das Antas, paralela à existente, e um viaduto no entroncamento do contorno com o novo acesso à Avenida Brasil.


A ponte será implantada no km 205 da rodovia, uma estrutura de concreto armado com 128 metros de comprimento e 11,50 metros de largura. Estão em construção as fundações, os pilares e travessas intermediárias, e as vigas e lajes que serão posicionadas sobre estas.


O viaduto que fará a ligação com a nova rodovia de acesso também será de concreto armado, passando por cima da BR-163, com extensão de 41,60 metros e largura de 16,20 metros, tendo duas pistas de 3,60 metros cada, acostamentos de 2 metros, barreiras de concreto New Jersey, passeios para pedestres e guarda-corpos. Estão sendo feitos os serviços de contenção, fundações, pilares e travessas, com as vigas já concluídas e, em breve, iniciando as lajes do tabuleiro do viaduto.


ACESSO – A obra de duplicação do Contorno Oeste de Cascavel inclui também o novo acesso ao centro do município, consistindo na implantação de três novas vias e três rótulas, em uma extensão total de 4,7 quilômetros.


“O projeto prevê uma continuidade da Avenida das Torres e uma continuidade da Avenida Brasil. Elas se encontram em um ‘Y’ onde haverá uma rótula, e depois seguem até uma próxima rótula, onde viram à direita e seguem a estrada Chaparral”, explica o superintendente da Regional Oeste do DER/PR, Charlles Urbano Hostins Júnior. A terceira rótula será implantada no atual entroncamento da Avenida Brasil com a Avenida Tito Muffato, no perímetro urbano de Cascavel.


A rodovia de acesso terá 3,2 quilômetros de extensão, com duas pistas de rolamento com 3,60 metros de largura cada e acostamentos de 2,50 metros. Os prolongamentos manterão as características das avenidas, ou seja, três faixas de rolamento em cada sentido, com 3 metros de largura cada, e passeios de 4 metros. O prolongamento da Avenida das Torres terá extensão de 1,1 quilômetro e o da Avenida Brasil 295 metros.


Em todos os casos será implantado o pavimento flexível asfáltico, por se tratarem de vias de menor movimento. “O fluxo de veículos é bem mais baixo, já sai da parte urbana e começam as características rurais”, afirma Charlles.


PARCERIA – A obra é mais um resultado da parceria entre o Governo do Paraná, governo federal e a Itaipu Binacional, esta última responsável pelos recursos utilizados. No caso desta obra, o DER/PR está executando um contrato originalmente do governo federal, sub-rogado ao Governo do Paraná.


A parceria com Itaipu inclui ainda a nova Ponte da Integração Brasil – Paraguai, a nova perimetral leste de Foz do Iguaçu, a duplicação da BR-277 em Cascavel, a pavimentação da Estrada da Boiadeira entre Umuarama e Icaraíma, a pavimentação entre Ramilândia e Santa Helena, a restauração da Ponte Ayrton Senna entre Paraná e Mato Grosso do Sul, a licitação da duplicação da Rodovia das Cataratas em andamento, e, futuramente, a implantação de um contorno em Guaíra.

0 visualização0 comentário