Do campo à mesa: sudoeste do Paraná torna-se referência em queijos artesanais


Produtores vêm se aperfeiçoando, com novas práticas de manejo e treinamentos; região promove, no dia 9 de novembro, o Inova Queijo Sudoeste


A produção do queijo colonial no Paraná é uma herança dos imigrantes europeus. Produzidos artesanalmente, os queijos são feitos seguindo receitas antigas e conservando aspectos culturais. Uma tradição que é passada de geração para geração, onde utiliza-se o leite cru, sem perder as propriedades, proporcionando mais sabor ao produto final.


O sudoeste do Paraná tem sido reconhecido como uma região produtora de queijos artesanais. E a Rota do Queijo Paranaense, lançada em 2021, vem fomentando o turismo rural. Atualmente, 51% das propriedades rurais que fazem parte do roteiro são sudoestinas. Os produtos comercializados com certificação incentivam a permanência dos produtores no campo.


No município de Chopinzinho, duas propriedades familiares vêm se consolidando na produção de queijos. Nas comunidades de Linha Tesoura e Mato Branco, as famílias Gossler e Roos, ao longo de mais de uma década, investem na atividade que tem garantido trabalho e até mesmo prêmios.


A família Gossler, da Queijaria Irmão Queijeiro, investe na produção de queijos desde 2010. Atualmente, dedica-se em tempo integral à atividade. O resultado é visto nas vendas e também no reconhecimento, inclusive com um prêmio recente, a medalha de prata no 2º Mundial do Queijo e Produtos Lácteos do Brasil, que aconteceu em São Paulo, capital, no mês de setembro.


“O leite utilizado na produção queijeira é todo da propriedade, sempre após cada ordenha. Aqui, respeitamos as boas práticas de fabricação e segurança alimentar. Utilizamos uma receita própria, que garante um queijo mais amanteigado e mais saboroso”, conta Giovana Gossler.


A qualidade do queijo produzido fez com que a propriedade fosse incluída na Rota do Queijo do Paraná – um mapa turístico que reúne diferentes queijarias e sabores pelo estado, trazendo, em cada propriedade que faz parte do roteiro, sabores peculiares da região.


“Tudo que temos vivido é o reconhecimento de um trabalho que fazemos com muito amor e dedicação”, conta Giovana, que recebe a ajuda do marido, Leocledes, e dos filhos John e Johnny, de 11 e seis anos respectivamente, na produção do queijo.


Na comunidade do Mato Branco, a família Roos também especializou-se na produção de queijos. Desde 2012 na atividade, foi em 2019 que a participação em cursos e treinamentos foi intensificada em busca de conhecimento.


“Aprendemos e fomos melhorando as nossas práticas. Neste mesmo ano, fomos desafiados a participarmos de concursos, onde fomos premiados”, relata o produtor Claudemir Roos, que conta com a ajuda de uma profissional queijeira na propriedade.


Atualmente, o sítio produz entre seis e sete variedades diferentes de queijo, todas seguindo receitas próprias, como, por exemplo, o queijo colonial amanteigado, que carrega iogurte na receita. Premiado no Concurso Internacional de Queijos de Araxá, em Minas Gerais, em 2019, Claudemir conta que o sucesso de um bom queijo passa especialmente pela alimentação dos animais.


“Como o leite é produzido aqui, priorizamos sempre a qualidade. A gente faz um manejo especial com o gado. As vacas vão ao pasto e se faz a complementação da alimentação no cocho. Faz três anos que não utilizo mais alimentação fermentada, não temos mais silagem. Isso garante um queijo muito mais saboroso”, explica.


A consultora do Sebrae/PR, Alyne Chicocki, destaca que a produção do queijo artesanal é mais uma alternativa para a agricultura familiar agregar valor à produção do leite.


“A cadeia produtiva na região Sudoeste avançou muito nos últimos anos e a informação, o conhecimento e a troca de experiências entre os produtores e os parceiros foram determinantes para essa evolução”, detalha Alyne.


Inova Queijo Sudoeste

Para fomentar ainda mais a cadeia produtiva e levar conhecimento e informações aos produtores rurais, o Sebrae/PR, o IDR-Paraná, a Prefeitura Municipal e o Governo do Paraná promovem, no dia 9 de novembro, o Inova Queijo Sudoeste, no Gabbana Jardins, em Pato Branco.


“O evento é uma oportunidade para os produtores estarem conectados às inovações do setor, além de posicionar a região Sudoeste como um polo de produção de queijos artesanais e especiais, agregando valor e proporcionando maior renda aos produtores”, afirma a consultora Alyne Chicocki.


O Inova Queijo Sudoeste terá como foco promover o conhecimento para a solução dos desafios da cadeia produtiva do leite e derivados, bem como o desenvolvimento dos empreendimentos relacionados ao segmento de lácteos. Em sua programação, o Inova Queijos Sudoeste reunirá palestras e painéis de debate em torno das temáticas relacionadas ao leite.


As inscrições podem ser feitas através do link: https://linktr.ee/inovaqueijo


Bacia Leiteira

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Paraná é o segundo maior produtor de leite do Brasil. São aproximadamente 4,4 bilhões de litros produzidos anualmente. A região Sudoeste se destaca como a maior bacia leiteira do Estado, com uma produção estimada em 1,2 bilhão de litros por ano.

4 visualizações0 comentário