Diretor de Itaipu visita primeiro bloco reformado do plano de expansão do HMCC


Setor de endoscopia já começa atender pacientes em maio. Esta é a segunda visita do diretor-geral brasileiro ao hospital que recebe aporte da binacional.


O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira, visitou, na manhã desta quinta-feira (6), o novo setor de endoscopia do Hospital Ministro Costa Cavalcanti. O espaço de 114 m² é o primeiro bloco reformado previsto no Plano de Expansão do HMCC, que conta com um investimento total de R$ 64,8 milhões da Itaipu Binacional. O setor deve começar a atender os pacientes nas próximas semanas.


O encontro fez parte de uma série de visitas do general Ferreira às fundações mantidas pela Itaipu. Ele havia iniciado a visita ao HMCC, em 14 de abril, quando acompanhou a apresentação do diretor-superintendente da Fundação Itaiguapy, Fernando Cossa. Desta vez, o DGB conheceu as dependências do hospital. “É uma estrutura invejável”, resumiu Ferreira ao final da visita.


A visita começou no Posto de Enfermagem do bloco 6, que atende pacientes particulares e de convênios. Foi apresentado ao diretor o carrinho beira-leito, um computador que fica em uma estrutura móvel e é utilizado pela equipe de enfermagem para fazer todo o prontuário eletrônico do paciente, ao lado do leito. Ao todo, são 30 equipamentos como este.


A comitiva passou pela UTI Neonatal, que completou 25 anos em 3 de abril, e ganhou uma recente atualização com a compra de 12 novas incubadoras. Mais modernas, elas são um equipamento híbrido podendo se transformar em berço quando aberto. A incubadora traz informações como peso, nível de oxigênio, temperatura do ar e do bebê, umidade do ar, entre outros dados sem que seja necessário o uso de outros equipamentos de medição.


O diretor também conheceu a farmácia do hospital e, depois, foi ao setor de oncologia onde está instalado o Hope (Hospital Palliative Experts). A área é responsável por humanizar o atendimento dos pacientes que não têm cura, focado no tratamento paliativo da pessoa em sua fase final de vida, assim como no atendimento psicológico às famílias.


O encerramento da visita foi com uma passagem pelo Centro Clínico do HMMC, que completou 10 anos em 2021, e pelo Centro de Medicina Tropical, um local especializado em pesquisas de doenças como a dengue, zika vírus e chikungunya. Desde março do ano passado, o centro está habilitado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen/PR) para analisar os exames RT-PCR para covid-19. De lá pra cá, foram mais de 62 mil exames.