top of page

Dia dos Pais: Mais da metade dos paranaenses pretende comprar presentes


Pesquisa da Fecomércio PR e Sebrae/PR revela que 24,8% irão utilizar o Pix como forma de pagamento


Está chegando o Dia dos Pais, o primeiro grande mote de vendas para o comércio no segundo semestre do ano. Segundo sondagem feita pela Fecomércio PR e pelo Sebrae/PR, 53,9% dos paranaenses vão presentear os pais neste ano, redução de 6,9 pontos percentuais em relação a 2022.


“O Dia dos Pais inaugura as principais datas comemorativas do segundo semestre com a indicação de que mais da metade da população pretende presentear nesta ocasião, mesmo havendo retração na intenção de compras com relação ao ano passado. O tíquete médio aumentou ligeiramente em relação à 2022 e a qualidade do produto continua sendo a principal influência para decidir a compra”, explica o coordenador de Desenvolvimento Empresarial da Fecomércio PR, Rodrigo Schmidt.


Entre quem não irá presentear, o principal motivo é o pai ser ausente ou falecido, com 71,7% das justificativas. Em 2022, os que não presenteariam por causa da ausência da figura paterna, em qualquer aspecto, correspondia a 63,5%, um aumento de 8,2 pontos percentuais.


Outro motivo para não comprar presente nesta data é pelo pai morar longe, com 15,8% ou por não comemorar a data, com 6,8%. A situação financeira ou o desemprego representa apenas 2,3% dos empecilhos para não presentear.


Valor do presente

O Dia dos Pais também é uma demonstração de carinho e reconhecimento. Quem vai presentear este ano pretende gastar mais, o que elevou o tíquete médio em 1,8%, passando de R$ 135,16 em 2022 para R$ 137,62. De modo geral, com 37,9%, os presentes devem custar até R$ 100,00. Os filhos que comprarão recordações na faixa de R$ 151,00 a R$ 200,00 somam 24,3% e os que vão gastar entre R$ 101,00 e R$ 150,00 são 22,3%. Os que vão desembolsar mais de R$ 200,00 representam 15,5%.


Fatores de influência

Ao contrário do que se possa pensar, preço não é a prioridade na hora de presentear. A qualidade do produto vem em primeiro lugar, com 33,3%, seguido pelo bom atendimento do vendedor, com 23,2%.


A qualidade no atendimento em vendas vem se destacando a cada ano, passando de 11,6% em 2021, para 14,8% em 2022 e atingindo 23,2% em 2023, o que traz um alerta para as empresas investirem em cursos e treinamentos para qualificar suas equipes.


Descontos e promoções são fatores de decisão para apenas 16,7% dos consumidores e preço baixo influencia 14,7%.


O coordenador de Comércio e Serviços do Sebrae/PR, Lucas Hahn, explica que a qualidade do produto e o atendimento oferecido pelos estabelecimentos são fatores de influência na decisão.


“Aproximar e construir ações com consumidores que fizeram compras em anos anteriores para promover os produtos, pensar também na presença digital e em uma lógica de preços, tudo isso para que as pessoas tenham opções que encaixem em seu orçamento para que a data seja marcante. Uma estratégia com a utilização de cupons, por exemplo, pode auxiliar a fidelizar quem é sazonal e a manter vendas durante outras épocas do ano”, comenta Lucas.


Ainda que o preço não seja tão relevante, os filhos pesquisam preço, e bastante: 70% dos paranaenses ouvidos consultam valores previamente, sobretudo pela internet, que concentra 39,1% das pesquisas.

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page