Delegado Sampaio recebe R$ 373 mil sem trabalhar


Desde que foi empossado em 1º de janeiro de 2021, o vice-prefeito de Foz do Iguaçu, o servidor público Francisco Robson Vidal Sampaio já recebeu R$ 373.215,37 em salários do Governo do Estado, sem cumprir sua função na Polícia Civil do Paraná. Sem trabalhar no Estado, o delegado recebeu 15 salários - 13 de R$ 23.176,84 (inclui o 13º) em 2021, três de R$ 23.872,15 e um de R$ 24.172,15. Se acrescentar o salário de maio, Sampaio vai receber R$ 397.387,52 por 16 salários. Os dados estão no portal de transparência do Estado.


Nos primeiros 10 meses de 2021, o delegado derramava elogios ao prefeito Chico Brasileiro, visitava as obras nos bairros, postava fotos nas redes sociais, destacava as ações do governo municipal nas entrevistas a rádios e insistia em festa da posse que não aconteceu em função da pandemia.


As diferenças começaram a surgir desde quando Sampaio assumiu a bandeira antivacina e na interinidade no comando da prefeitura por duas vezes, ameaçou servidores com a demissão e fazia questão de aprovar pessoalmente as notas à imprensa produzida pela comunicação do Município.


GOLPISTAS - Sampaio chegou a se reunir com representantes do negacionismo e afirmou contrariedade aos protocolos de prevenção da covid determinados pelas autoridades sanitárias. Se constatou ainda que o delegado pouco ou nada fazia na prefeitura, a não ser fotografar as obras e se articular com defensores da cloroquina e conspiradores que não aceitaram o resultado das eleições de 2020.


Em áudios vazados nas redes sociais, um dos articuladores do golpe convidava um interlocutor a fazer parte do movimento golpista. "Tudo bem, meu querido, deixa eu perguntar uma coisa? Nós estamos numa luta ferrenha para derrubar o Chico. E tâmo com o  doutor Francisco, delegado, que é aliado. Você quer entrar nessa empreitada junto com a gente? Daí, vamos todo mundo para a prefeitura".


"A reunião que nós fizemos foi na sala do delegado Francisco, e eu tô articulando outra grande, inclusive com o Tércio que vai vir de Curitiba, entendeu? Aí já tem alguns policiais, advogados, tem dois advogados e dois policiais, aquele guarda municipal que foi barrado de trabalhar. Mas se eu descobrir, se você descobrir quem é esse grupo, aí vamos somar. Vamos se unir a eles, quanto mais gente de influência e com conhecimento de causa melhor né?".


Pela beligerância e falta de trabalho, Sampaio foi defenestrado da prefeitura, teve que devolver o carro oficial que usava para fotografar as obras nos bairros e sua cota de gasolina foi cortada. A prefeitura identificou o uso político-eleitoral do carro e combustível. O vice-prefeito também teve dois assessores exonerados. A função dos assessores era cuidar da agenda e postar as visitas de Sampaio no perfil pessoal das redes sociais.


Os corredores da Câmara Municipal afirmam que Sampaio foi picado pela mosca azul do poder e não encontrou espaço no próprio partido em foi eleito, o PSD, para suas pretensões políticas-eleitorais, buscou se alinhar aos adversários do prefeito e se aninhou ao União Brasil. Desde então, passou a criticar as ações do governo municipal, e continua ameaçando servidores nos postos de saúde. E quando lhe convém, as obras municipais continuam sendo fotografadas e postadas nas redes sociais.

1 visualização0 comentário