top of page

Codefoz aprova realização da primeira conferência de desenvolvimento econômico de Foz do Iguaçu



Plenária também recebeu o diretor-superintendente do PTI, Irineu Colombo, que fez balanço de ações e impacto da instituição na cidade.


Com a aprovação da plenária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codefoz), quinta-feira, 23, sociedade civil e poder público dão início à organização da primeira conferência de desenvolvimento econômico de Foz do Iguaçu. O objetivo é consultar a comunidade sobre estratégias e ações para fomentar o crescimento da cidade.


A proposta de realizar esse diálogo amplo foi apresentada pela Câmara Técnica (CT) de Desenvolvimento Econômico do conselho, que reúne entidades, setor empresarial, prefeitura, Câmara de Vereadores e Itaipu Binacional. O resultado da conferência irá subsidiar a atualização do Plano de Desenvolvimento Econômico (PDE).


“A conferência será um momento ímpar para reunirmos todos os segmentos iguaçuenses, tanto públicos como privados, sempre revisitando a experiência acumulada até aqui”, expôs o presidente do Codefoz, Fernando Castro Alves. “E conferir o que vem sendo feito nos últimos anos, a fim de que possamos reforçar o que dá certo e, eventualmente, corrigir rumos”, frisou.


O presidente do conselho enfatizou que os debates e deliberações deverão interagir com os 70 projetos prioritários para o desenvolvimento, pleiteados à prefeitura e Itaipu Binacional. E reforçou o convite para que todas as secretarias afins ao tema, conselhos de políticas públicas e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) participem fortemente da construção da conferência.


Consultor do Sebrae e relator da CT de Desenvolvimento Econômico do Codefoz, Alessandro Coelho destacou o caráter participativo da conferência, unindo poder público, setor privado e sociedade civil. Além de balizar o Plano de Desenvolvimento Econômico, disse, somará ao Plano Diretor, Plano de Ações e Investimentos e às peças do ciclo orçamentário do município.


“Ao reunir a sociedade, o objetivo é elaborar estratégias inovadoras e sustentáveis para o desenvolvimento de Foz do Iguaçu”, resumiu. “A conferência irá identificar oportunidades e desafios específicos, sob a visão de crescimento sustentável e inclusivo para a atração de investimentos e a geração de emprego”, realçou Alessandro.


PTI: balanço de ações


Com indicadores qualitativos e quantitativos, o diretor-superintendente do Parque Tecnológico Itaipu, Irineu Colombo, levou à plenária do Codefoz um balanço das ações da instituição. A finalidade foi demonstrar o impacto do trabalho em Foz do Iguaçu e reforçar que as ferramentas, conhecimento e recursos técnicos estão à disposição da cidade.


Colombo contextualizou o propósito de criação do PTI-BR e afirmou que o Parque Tecnológico está assumindo outros desafios, em alinhamento com a atual gestão da Itaipu Binacional. “São atribuições para desenvolver novas ações, perspectivas diferentes e soluções para a população naquilo que somos mais competentes”, explicitou, estreitando a relação com a comunidade.


Esse delineamento será expresso no planejamento estratégico, em fase de conclusão, sendo que o diretor antecipou aos conselheiros de desenvolvimento que o PTI-BR enfocará as temáticas de energia, tecnologia, meio ambiente e suporte à Itaipu. “Estamos começando uma mudança, a partir de Foz do Iguaçu, para estendê-la ao Brasil”, declarou Colombo.


Diariamente, entre professores, estudantes, pesquisadores e profissionais, circulam oito mil pessoas no Parque Tecnológico iguaçuense, que remunera 738 funcionários, estagiários e jovens aprendizes, operando um orçamento de R$ 400 milhões em 2024. A fundação faz gestão do turismo dos atrativos da Itaipu Binacional, tendo atendido mais de 7,5 milhões de visitantes – 500 mil só no ano passado.


“Aproveitando que estamos no Conselho de Desenvolvimento, eu faço um convite para os empreendedores e representantes de instituições: nos visitem, conheçam o que nós produzimos e a nossa capacidade para contribuir com a cidade”, sugeriu. “Agradeço a oportunidade para apresentar o que fizemos, o que estamos fazendo e as perspectivas futuras”, finalizou Irineu Colombo.


Entre as ações, o diretor do Parque Tecnológico Itaipu salientou o desenvolvimento da inovação, ciência, tecnologia e educação; fortalecimento do turismo; apoio a startups e soluções criativas; implementação, com a prefeitura, do Centro Municipal de Inovação; construção de casas populares, projeto executivo do Beira Foz; adequação e efetivação do Mercado Municipal; revitalização e ampliação do Ecomuseu; criação do primeiro curso do país em hidrogênio verde, com o Instituto Federal do Paraná, entre outras.


(AI Codefoz)

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page