top of page

Câmara de Foz concede Moção de Solidariedade aos palestinos


O Legislativo Iguaçuense entregou nesta quinta-feira, 2 de dezembro, uma moção em solidariedade aos palestinos (Moção nº 21/2021), em alusão ao Dia Internacional de Solidariedade ao Povo Palestino (29/11), com os votos de que essa população alcance a autodeterminação, a liberdade e o reconhecimento de seu Estado, já admitido pelo Brasil e por mais 139 países, livre e soberano, conforme o Direito Internacional, as Resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU) e os acordos internacionalmente pactuados, vivendo em paz e segurança ao lado de todos os seus vizinhos.


O direito à autodeterminação é considerado um direito humano fundamental e é amplamente reconhecido como o direito dos povos a determinar os vários elementos da sua governança. Foz tem uma relação com a Palestina, inclusive o município e Jericó já são cidades-irmãs desde 2012. “Cumprimento a todos os palestinos no mundo e representantes de todas as religiões que se solidarizam com o sofrimento do povo palestino. Essa moção foi unânime, é para simbolizar o reconhecimento do Dia Internacional de Solidariedade ao Povo Palestino que vem sofrendo a ocupação, opressão, desapropriação de suas terras, promoção de matança e limpeza étnica, há quase 100 anos. Tenho a certeza que nenhuma opressão durou para sempre. Foi no momento em que a ONU permitiu a injustiça que se inicia uma guerra e disputa para tomada ilegal da Palestina e de outro lado uma luta para sobreviver e pela sua terra, seus direitos. Foz também tem a honra de ser o berço de uma comunidade da Palestina muito ativa, que constrói essa cidade. Esses palestinos têm duas pátrias. A causa palestina é da humanidade. Que possamos consolidar a data de 29 de novembro como Dia Internacional de Solidariedade ao Povo Palestino. Essa moção não é isolada na Casa de Leis”, explanou o vereador Adnan El Sayed (PSD).



Quem recebeu a honraria foi Ibrahim Mohamed Khalil Alzeben, embaixador da Palestina no Brasil e Ualid Rabah – presidente da Federação Árabe Palestina do Brasil (FEPAL); também participaram da homenagem: Fawzi Abdallah - representante da Sociedade Árabe Palestina de Foz do Iguaçu; Jihad Abu Ali, diretor de Assuntos Internacionais do Executivo; Kellyn Trento, secretária de Direitos Humanos da Prefeitura; Sheik Mohamed Khalil e outros representantes da comunidade árabe.


A vereadora Anice Gazzaoui (PL) contribuiu: “Foz tem diferencial das etnias e riquezas de cultura. Quando falamos de justiça falamos de direito à moradia, de ter o território. Estaremos sempre em luta para que todos os países, todos os povos sejam livres. Israel vende uma democracia que não existe para o mundo. Temos que avançar em conjunto. Enquanto houver uma pessoa oprimida dentro de um país, também não podemos dizer que esse país e livre e justo. O que se vende para o mundo é uma justiça falsa. Estamos fazendo uma moção de repúdio ao que aconteceu em uma mesquita de Ponta Grossa (PR)”. Durante a cerimônia, foi exibido um vídeo da Fepal contando a história da Palestina, relatando a ocupação, apartheid.


Ibrahim Mohamed Khalil Alzeben, embaixador da Palestina no Brasil, comentou: “Não deixa de ser muito emotiva essa sessão e receber uma unanimidade de solidariedade de coração e de consciência para o povo de Foz, representando não somente o estado, mas o sentir de todo o povo brasileiro. A questão palestina está conhecida, as palavras de solidariedade são reflexo de compreensão desta causa que leva 74 anos esperando justiça. Falta que o mundo, com sua vontade política e determinação, possa impor a Israel uma solução. Esperamos muito em breve alcançarmos uma solidariedade internacional. São mais de 74 anos”. Além disso, ele reafirmou a importância do documentário, lançado recentemente: “Palestina, Fragmentos de uma história”, produzido por Waldson Dias, Christian Rizzi, Marcelo Freire e Jean Carlos, que foram à Palestina para vivenciar e contar ao mundo a história do local.


“Que o povo palestino alcance seu estado livre e soberano. Com a convivência em paz com seus países vizinhos. Essa Casa continua solidária à causa palestina”, ressaltou o vereador Ney Patrício (PSD), presidente da Câmara Municipal.



Repúdio ao ato de intolerância religiosa na mesquita de Ponta Grossa


Os vereadores que compõem a Bancada Inter-Religiosa, Anice Gazzaoui (PL), Jairo Cardoso (DEM) e Alex Meyer (PP), destacam que estão elaborando um documento de repúdio ao ato de intolerância religiosa sofrido pela Mesquita Imam Ali, de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais (PR), na última semana, oportunidade em que foi queimado o Alcorão, que é o livro sagrado do islamismo.


https://bit.ly/3G83jh1

1 visualização0 comentário
bottom of page