Além de Mac Donald, lista dos fichas sujas traz ex-deputados, ex-vereadores e ex-secretários


O ex-prefeito Paulo Mac Donald Ghisi (Podemos) está 'bem acompanhado' na lista dos 1.496 fichas sujas entregue na quarta-feira, 2, pelo TCE (Tribunal de Contas do Paraná) ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral). Esses políticos tiveram as contas julgadas irregulares e desde a aprovação da Lei da Ficha Limpa em 2010, os direitos políticos geralmente são cassados por oito anos nestes casos. Mac Donald, conforme a lista, não poderá concorrer na eleição de 15 de novembro.


Marcaram presença na lista os ex-prefeitos de Paranaguá, José Baka (PDT); de Londrina, Barbosa Neto (PDT; de Ponta Grossa, Pedro Wosgrau Filho (PRTB); de Cascavel, Lísias Tomé (DC); de Umuarama, Moacir Silva (Patriota); de Paranavaí, Rogério Lorenzetti (PSD) e de Piraquara, Gabriel Samaha, o Gabão (MDB). E até o atual prefeito de Castro, Moacyr Elias Fadel (Patriota).  


Também constavam na lista, ex-deputados que tiveram irregularidades na época de prefeitos, tornando-os inelegíveis tanto para o executivo quanto para o legislativo. Entre os políticos que já ocuparam cadeira na Assembleia Legislativa estão o ex-prefeito de Ponta Grossa, Péricles de Mello (PT), e o ex-prefeito de Campo Mourão, Nelson Tureck (Podemos). Outros ex-deputados estaduais inelegíveis são os ex-vereadores de Curitiba, Algaci Túlio (ex-MDB) e Custódio da Silva (PMN), e o ex-secretário estadual do trabalho, Emerson Nerone (PT).


Quem mais - Já o ex-prefeitos que já foram deputados federais pelo Paraná estão ainda Luizão Goulart (Republicanos); ex-prefeito de Pinhais; Leopoldo Meyer (PSB), ex-prefeito de São José dos Pinhais; Nedson Micheleti (PT), ex-prefeito de Londrina; e Alceni Guerra (DEM), ex-prefeito de Pato Branco e ex-ministro da saúde do governo Collor.


Em um caso peculiar, está o ex-prefeito de Guarapuava, Victor Hugo Burko (DEM), que está inelegível não por conta da prefeitura e sim por irregularidades no período que foi presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP).


Outros ex-secretários de primeiro escalão das gestões anteriores do governo estadual também estão inelegíveis: Celso Caron (Turismo), Eduardo Requião (Appa), Heron Arzua (Fazenda), Hudson Calefe (Sanepar), Ivo Brand (Lactec) Lygia Pupatto (Seti), Marcos Mazoni (Celepar), Mário Lobo Filho (Appa) e Yvelise Arco-Verde (Educação).


O ex-vereador João Cláudio Derosso (ex-PSDB) que comandou a Câmara Municipal de Curitiba durante 15 anos é outro que está longe de poder voltar para os cargos públicos. Chamou atenção a presença dos últimos três ex-reitores da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Zaki Akel, Márcia Mendonça e Carlos Moreira que também já foi secretário estadual de saúde.

2 visualizações

Foz do Iguaçu - Paraná

©2021 por Portal Fronteiras. Orgulhosamente criado e desenvolvido por Agência Ludkus.